A fisioterapia abrange diversas áreas e uma delas é a fisioterapia uroginecológica, responsável tanto pela prevenção quanto para o tratamento de transtornos relacionados aos músculos do assoalho pélvico como incontinência urinária, fecal, disfunção sexual e prolapsos genitais, por exemplo, melhorando a qualidade de vida e o desempenho sexual.

Os músculos do assoalho pélvico têm como objetivo controlar a urina e as fezes e sustentar vários órgãos como a bexiga, o útero e o reto. No entanto, com a chegada do envelhecimento, doenças, cirurgias ou partos múltiplos, os músculos perdem força e resultam em vários problemas que podem ser bastantes desconfortáveis e, até mesmo, limitantes. Sendo assim, a fisioterapia ginecológica busca fortalecer esses músculos e tratar essas alterações.

Para que serve?


Por trabalhar não só a reabilitação como também a prevenção, a Fisioterapia Uroginecológica serve para o fortalecimento do assoalho pélvico. Este tratamento ajuda a prevenir a flacidez da musculatura e fortalece essa região através de exercícios próprios e receitados por especialistas. Em casos de reabilitação, quando os músculos já estão flácidos, o tratamento faz com que eles voltem à sua função de sustentar os órgãos pélvicos e controlar a urina e as fezes.

Dessa forma, esse tipo de fisioterapia pode ser recomendado no caso de:

Incontinência urinária e fecal, sendo as principais razões para a realização desse tipo de fisioterapia;

Prolapsos genitais, que corresponde à descida dos órgãos pélvicos, como bexiga e útero, por exemplo, devido ao enfraquecimento dos músculos;

Dor pélvica, que pode ocorrer devido à endometriose, dismenorreia ou durante a relação sexual;

Disfunções sexuais, como anorgasmia, vaginismo, dor durante a relação sexual e, no caso dos homens, disfunção erétil e ejaculação precoce;

Constipação intestinal, que também pode acontecer devido a disfunções do assoalho pélvico.

A fisioterapia uroginecológica também pode ser útil na preparação para o parto e na recuperação pós-parto, pois permite que a mulher assimile as modificações do seu corpo e facilita a recuperação após o parto. Entretanto, esse tipo de fisioterapia precisa ser feito com acompanhamento de um profissional qualificado e é contraindicado para mulheres que tenham algum problema na gravidez.

Além disso, a fisioterapia uroginecológica pode ser recomendada para pessoas que foram submetidas a cirurgias pélvicas, pois auxiliam na sua reabilitação, podendo ser realizada de forma preventiva.

Como o tratamento é feito?


A fisioterapia uroginecológica é realizada por um fisioterapeuta especializado e com o auxílio de vários recursos de acordo com o objetivo do tratamento, como por exemplo:

Eletroestimulação, que é feita com o objetivo de promover a tonificação do assoalho pélvico, diminuindo a dor perianal e diminuindo a atividade da musculatura da bexiga durante o seu enchimento, podendo então ser recomendado no tratamento da incontinência urinária, por exemplo;

Biofeedback, que tem como princípio medir a atividade muscular da região, avaliando a contração, coordenação e relaxamento dos músculos;

Cinesioterapia, que é baseada na prática de exercícios, como os exercícios de Kegel, que promovem o ganho de força nos músculos pélvicos.

Fisioterapia Uroginecológica para Endometriose


Apesar da endometriose não ser uma disfunção de musculatura, a Fisioterapia Uroginecológica vem tendo grandes avanços para ajudar mulheres que sofrem com a doença. Esse auxílio se dá através da melhora do assoalho pélvico. Isso porque a endometriose é, basicamente, quando o endométrio cresce além do normal e atinge o lado de fora do útero, podendo atingir outros órgãos. Assim, a musculatura dessa região pode reagir negativamente à presença desse endométrio, gerando uma disfunção.


É nesse sentido que a Fisioterapia Uroginecológica pode ajudar as mulheres que sofrem com endometriose. Já que vai atuar na coordenação e no relaxamento dessa musculatura melhorando a qualidade de vida.

Se você atua como fisioterapeuta ou até mesmo com a fisioterapia uroginecológica de forma autônoma e deseja dar um upgrade no seu negócio e ter um rendimento mensal maior, esse é o momento de aprofundar seus estudos na área do empreendedorismo. Para isso, o Incursos pode te ajudar. Matricule-se no MBA em Empreendedorismo, Gestão e Inovação, e se destaque no mercado de trabalho.


Fonte: Tua Saúde e Clínica da Cidade

Imagem: 123RF