A sensação de que os ombros e as costas estão doloridos pode ocorrer com diversas pessoas, e saber qual é a causa para essa dormência nos músculos é fundamental, pois, existem vários motivos para isso. Geralmente, a dor está relacionada com a má postura, que se dá por conta do sedentarismo, tabagismo, estresse e falta de ergonomia no trabalho, principalmente em frente ao computador. Esses sintomas também podem estar ligados à fibromialgia, doença reumática em que a pessoa apresenta pontos dolorosos em diversas regiões do corpo, de origem nos tecidos de sustentação do esqueleto, como fáscias, músculos e tendões.


Essas dores sentidas nos músculos das costas e ombros são muito frequentes. E a relação está na cintura escapular, região do nosso corpo que vai do pescoço às costas, passando pelas porções posteriores dos ombros. Ela é responsável por toda a sustentação da cabeça e dos membros superiores e está interligada por um conjunto de articulações como coluna, ombro e escapulotorácica, com músculos e ligamentos que se conectam e trabalham em grupo. Dessa forma, desequilíbrios musculares, o mau uso do corpo, ou excesso de peso podem trazer uma sobrecarga a essas estruturas e se manifestar como dor.


O mais recomendado nesses casos é buscar ajuda médica especializada, principalmente quando a dor permanece por dois ou três dias. Mas, antes de se consultar com o profissional da saúde algumas medidas podem ser tomadas, como:


Deitar sem travesseiro por alguns minutos, levando ao relaxamento de toda a musculatura de ombros e costas;

Compressas de calor local;

Massagens na região da dor;

Alongamentos;


Exercícios de fortalecimento muscular;

Readequar as condições de trabalho, deixando a tela do computador na altura dos olhos;

Apoiar sempre os cotovelos ao digitar;


Utilizar cadeiras adequadas.


Caso você faça a consulta com um ortopedista, normalmente, é realizado a anamnese, ou seja, uma entrevista com o paciente para saber mais sobre seu histórico, e um exame físico detalhado. Tudo isso para poder recomendar os exames como radiografias, ultrassonografia, exames de ressonância magnética ou complementares relacionados aos possíveis problemas da pessoa.


O tratamento será executado de acordo com o diagnóstico. Na maioria dos casos, exercícios de fortalecimento e alongamentos já são suficientes. Já os pacientes portadores de alguma deformidade na coluna, a avaliação deverá ser mais criteriosa. Nos casos de fibromialgia, podem ser indicados fisioterapia, medicamentos de uso crônico e até mesmo a psicoterapia.

Por isso, se você atua na área da fisioterapia e quer ampliar seu conhecimento e fazer a diferença no mercado de trabalho, conheça e se matricule na especialização em Terapia Ortomolecular e Fitoterápica "Ênfase na Prática Clínica" do Incursos. Seja um (a) especialista no assunto e dê um ‘upgrade’ na sua vida profissional.


Fonte: Viva Bem

Imagem: 123RF