Na fase em que a pessoa já se encontra idosa diversas situações mudam, o corpo, a mente e a força física já não se encontram com o alto desempenho de antes. Nessa perspectiva, o ideal é não ficar parado e procurar se manter ativo para ter uma boa qualidade de vida. E é aí que a fisioterapia geriátrica desempenha um papel fundamental proporcionando diversos benefícios.


Um fato importante é que cada ser humano possui um processo do envelhecimento único e diversificado, sendo influenciado por fatores de ordem genética, biológica, social, ambiental, psicológica e cultural. Dessa forma, o conjunto de alterações orgânicas, funcionais e psicológicas do envelhecimento normal é chamado de senescência, enquanto a senilidade é caracterizada por afecções que frequentemente acometem os indivíduos idosos.


As enfermidades provocam perdas das reservas orgânicas acelerando o envelhecimento, responsável pelo processo de declínio gradativo da função dos vários sistemas do indivíduo. Por essa razão e pelas diferenças entre os idosos, é essencial que o profissional da fisioterapeuta conheça as diferenças entre senescência e senilidade para saber quando e como intervir. Até porque, é possível retardar o declínio da capacidade funcional e envelhecer de maneira mais saudável.

Dentro da fisioterapia geriátrica há uma abordagem integral e humanizada do idoso, com foco nas particularidades do processo do envelhecimento. Nesse sentido, é necessário valorizar a singularidade do idoso, abordando toda sua história e considerando os seus aspectos biológicos, psicológicos e sociais.


Por meio do relato do paciente, o fisioterapeuta terá informações para melhor poder entender o paciente de forma global. Assim será mais viável para o profissional montar um planejamento para o tratamento do paciente que não se restrinja apenas nas questões físicas, valorizando os aspectos psicossociais do idoso, a sua interação com a família, atividades de lazer e motivação no cotidiano.

Benefícios


Dentro da fisioterapia geriátrica vários benefícios podem ser percebidos, tais como:

Aumento da sensação de bem-estar físico e mental;


Melhora da qualidade de vida;

Melhora do humor, da autoestima e da autoconfiança;

Melhora do condicionamento físico;


Manutenção ou ganho de força muscular;

Manutenção da amplitude de movimento;


Melhora da flexibilidade e equilíbrio;

Prevenção do risco de quedas;

Manutenção da independência funcional;


Previne ou retarda incapacidades relacionadas ao envelhecimento;


Reabilitação da função motora comprometida dentro das suas potencialidades e especificidades.

Atuar com idosos na condição de fisioterapeuta além de ser uma área promissora que só tende a crescer, exige do profissional maior capacitação e conhecimento. Por isso, se você é fisioterapeuta e deseja aprimorar suas técnicas e seu atendimento com pessoas que se encontram na terceira idade faça sua especialização em Gerontologia, Dimensões Biológicas, Psicológicas e Sociais no Incursos. Seja um (a) especialista no assunto e se torne referência no meio profissional.


Fonte: Instituto Viva Bem

Imagem: 123RF