A fisioterapia aquática, conhecida como hidroterapia e aquaterapia, consiste em uma atividade terapêutica em que exercícios são realizados dentro de uma piscina com água aquecida, por volta de 34ºC. O intuito da prática é avançar a recuperação de atletas lesionados e idosos que possuem, por exemplo, artrite.


Normalmente, a fisioterapia aquática é realizada sob supervisão de um profissional da fisioterapia e é bastante recomendada não só para idosos como também para gestantes. A atividade desenvolvida na água pode ajudar em diversos tratamentos, tais como:


Artrite, artrose ou reumatismo;

Problemas ortopédicos, como fraturas ou hérnias discais;

Lesões musculares;

Dores articulares;

Inchaço nas pernas;

Dificuldade respiratória;

Problemas neurológicos.

No caso das gestantes a fisioterapia aquática precisa ser indicada pelo obstreta e, de maneira geral, é feita para melhorar a circulação do sangue, diminuir o inchaço das pernas e as dores nas costas, pés e joelhos.

Benefícios


As propriedades da água por meio da fisioterapia aquática são capazes de reduzir a carga provocada pelo peso do corpo sobre as articulações e ossos ao mesmo tempo que se mantém a resistência, permitindo o crescimento muscular, mas sem provocar lesões em outros locais do corpo. A água aquecida também possibilita o relaxamento muscular e o alívio da dor.


Além disso, os exercícios aquáticos ajudam a diminuir problemas de postura e transmite sensação de bem-estar, melhorando a imagem corporal dos indivíduos e aumentando a autoestima. Com isso, a fisioterapia aquática contribui para:

Fortalecimento dos músculos;

Alívio de dores musculares ou articulares;

Melhora do equilíbrio e coordenação motora;

Promoção do relaxamento muscular;

Diminuição de distúrbios do sono;

Redução do estresse e ansiedade;

Aumento das amplitudes das articulações.


Outro benefício da prática é a melhora no sistema cardiorrespiratório, assim como a hidroginástica, em que os exercícios praticados são mais intensos.

Exercícios de hidroterapia


Diversas técnicas e exercícios aquáticos são usados na hidroterapia, mas, vale frisar que as atividades devem ser realizadas por um fisioterapeuta. Este profissional pode vir a indicar os seguintes exercícios:


Bad ragaz


Este exercício é utilizado para fortalecer e reeducar os músculos e para promover o alongamento do tronco. Normalmente, o terapeuta fica em pé e o paciente utiliza flutuadores na cervical, pelve e caso seja necessário, no tornozelo e no punho.

Geralmente, este método é usado em pessoas com lesões no Sistema Nervoso Central, disfunções ortopédicas ou pessoas que apresentem uma redução na amplitude de movimento, fraqueza, dor ou lombalgia.

Relaxamento aquático integral


Esta técnica utiliza as propriedades da água aquecida, entre os 33º e os 35ºC, tendo efeitos relaxantes no Sistema Nervoso Autônomo. Durante o exercício, promove-se a rotação e o alongamento do tronco, com movimentos rítmicos e repetidos, diminuindo os estímulos visuais, auditivos e sensoriais.

Este exercício, normalmente, é recomendado para pessoas com problemas ortopédicos, após uma cirurgia da coluna vertebral, lombalgia, com lesões por esforços repetidos e doenças ocupacionais relacionadas ao trabalho e para pessoas com diminuição da amplitude ou dor nos movimentos ou então para pessoas com problemas neurológicos.


Watsu


No procedimento executando a técnica Watsu, a água da piscina deve estar morna, em torno de 35ºC, e são realizadas técnicas especificas com movimentos, toques e alongamentos, desbloqueando-se pontos de tensões físicas e mentais. Nestas sessões, os exercícios levam em conta a respiração e a posição da pessoa.

Além disso, o método é indicado para casos de estresse físico e mental, medo, ansiedade, insônia, dores musculares, enxaqueca, falta de disposição, depressão, tensões agudas e crônicas, mulheres grávidas, pessoas com bloqueios emocionais, entre outros.

Halliwick


Essa técnica também conhecida como programa dos 10 pontos, e se trata de um processo, no qual, o paciente trabalha a respiração, equilíbrio e o controle dos movimentos, melhorando assim o aprendizado motor e a independência funcional, tornando a pessoa mais apta para iniciar e executar movimentos e atividades difíceis de serem realizadas no solo.

Este método é executado com movimentos voluntários da pessoa, mesmo que ela tenha falta de mobilidade e realize os exercícios com certa dificuldade.

Se você atua na área da fisioterapia e sabe da importância que a sua profissão tem para a reabilitação de pacientes em especial os idosos, talvez esteja na hora de fazer uma pós-graduação que te deixe mais capacitado (a) para atuar no mercado de trabalho com as pessoas que já se encontram na terceira idade. Então, matricule-se na especialização em Gerontologia, Dimensões Biológicas, Psicológicas e Sociais no Incursos. Faça a diferença no meio profissional e se destaque no mercado de trabalho.


Fonte: Tua Saúde

Imagem: 123RF