A ruptura do ligamento cruzado costuma acontecer com muitos atletas que sofrem com esta grave lesão no joelho que provoca interrupção nas atividades físicas por alguns meses. Por isso, é importante saber do que se trata essa ruptura no joelho e conhecer os seus tratamentos.


O joelho é uma articulação complexa formada por inúmeras estruturas inter-relacionadas que proporcionam mobilidade e estabilidade. Para manter a firmeza e garantir o movimento correto da articulação, existem os ligamentos. Uma lesão nos ligamentos do joelho pode ser uma lesão grave; a mais comum é a ruptura do ligamento cruzado anterior.


Nesse sentido, o ligamento cruzado anterior é um dos quatro ligamentos presentes no joelho, juntamente com os dois mediais e o ligamento cruzado posterior. Esse ligamento é essencial para evitar o deslocamento anterior da tíbia em relação ao fêmur. Apesar da existência de dois ligamentos cruzados, fala-se com mais frequência sobre o cruzado anterior.

A prática esportiva, geralmente, é a causa para a ruptura do ligamento, no qual, costuma ser comum em esportes como: futebol, basquete, hóquei e esqui. Essa ruptura também pode acontecer durante corridas, ao frear ou fazer mudanças de direção. Quando isso ocorre, o ligamento é levado ao seu limite de alongamento e dessa forma a ruptura acontece.

Vale ressaltar que em diversos casos a ruptura do ligamento cruzado pode ser acompanhada pela ruptura de um dos ligamentos laterais e do menisco. Quando essas três lesões estão associadas, ocorre a lesão conhecida como tríade infeliz.

Prevenção


É muito importante agir para prevenir esse tipo de lesão, que tem se tornado uma epidemia entre os atletas nos últimos anos. A maneira mais eficaz de evitar esse problema é fazer um bom aquecimento, praticar exercícios de mobilidade várias vezes por semana e dar ao corpo um descanso adequado após cada exercício físico.

É importante estar ciente de que cada um é o principal responsável por cuidar da própria saúde. Por isso, é muito importante conhecer o seu próprio corpo e saber quando você está chegando ao seu limite para interromper a atividade.

Tratamento geral


Após acontecer a lesão é preciso tomar algumas atitudes até receber o tratamento definitivo, que em grande parte dos casos passa pela sala de cirurgia. Enquanto a cirurgia não é realizada recomendado é fazer repouso absoluto e manter a articulação tão imóvel quanto possível, pois a mobilização pode agravar a lesão e piorar o prognóstico.

Outra sugestão nessa situação é colocar uma bandagem de compressão e aplicar gelo para reduzir a inflamação; caso haja muita dor, a administração de anti-inflamatórios pode ser considerada. É essencial usar as muletas para andar, pois a perna lesionada não pode servir como apoio.

Tratamento conservador


Para esse tratamento é incluído estratégias de fortalecimento muscular e articular. É recomendado para pessoas menos ativas, que não praticam muita atividade física e quando a lesão ocorreu de maneira acidental.

Sendo assim, um processo de reabilitação prolongado, normalmente feito com profissionais da fisioterapia, deve ser realizado com o objetivo de recuperar toda a mobilidade possível na articulação. Pode ser que em alguns casos a funcionalidade completa do joelho nunca seja recuperada.

É por essa razão que, quando a lesão ocorre em atletas, em jovens e em pessoas que desejam manter um estilo de vida ativo, o mais apropriado é indicar um tratamento cirúrgico.

Tratamento cirúrgico


Os casos de cirurgia geralmente são indicados para atletas, principalmente se quiserem manter a prática esportiva em um nível competitivo. O procedimento cirúrgico também é indicado para os pacientes que lesionaram outras estruturas articulares, como outro ligamento, o menisco e, principalmente, no caso da tríade infeliz.

O tratamento pode ser feito através de cirurgia aberta ou por meio de uma artroscopia. A tendência, atualmente, é usar a artroscopia na qual são introduzidos elementos para operar juntamente com uma câmera de vídeo através de pequenas incisões. O ligamento lesionado é substituído pelo de um doador, procedimento chamado de aloenxerto, ou é feito um substituto a partir do próprio tecido muscular, nesse caso chamado de autoenxerto.

A cirurgia por meio da artroscopia é muito menos agressiva do que a cirurgia aberta, pois, o paciente costuma apresentar menos sintomas inflamatórios e menos dor no pós-operatório. Além disso, o tempo de hospitalização é mais curto e a recuperação mais rápida.

Entretanto, nos casos em que o acesso por meio da artroscopia é muito complicado devido às condições do paciente, é necessário fazer a cirurgia aberta.

Essas são as diferentes maneiras de tratar a ruptura do ligamento cruzado. Como esta é uma lesão considerável, é sempre necessário seguir as instruções do médico para fazer uma reabilitação certa e adequada.

Se você atua na área da fisioterapia e deseja ampliar mais seus conhecimentos profissionais, então, prossiga seus estudos e comece sua especialização na Incursos. São diversos cursos de pós-graduação para você fazer e aperfeiçoar suas técnicas profissionais.


Fonte: Sou Fitness

Imagem: Freepik