Com o alto percentual de casos confirmados do novo coronavírus, os hospitais estão cada dia mais lotados, e em diversos casos os pacientes infectados sofrem com a insuficiência respiratória, um dos sintomas do Covid-19. Nesse sentido, a presença de fisioterapeutas para o desenvolvimento da fisioterapia respiratória é fundamental.


A fisioterapia respiratória visa a prevenção e o tratamento de praticamente todas as doenças que atingem o sistema respiratório como o Covid-19, asma, bronquite, insuficiência respiratória e tuberculose, por exemplo. Ela deve ser sempre realizada pelo fisioterapeuta em casa, na clínica, no hospital ou no trabalho.

Os exercícios respiratórios são também fundamentais para melhorar a respiração e mobilizar os músculos ventilatórios. Além disso, a fisioterapia respiratória pode ser feita também na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), inclusive quando o paciente se encontra entubado, ou seja, respirando com a ajuda de aparelhos.

Para que serve a fisioterapia respiratória


Esse tipo de fisioterapia serve para melhorar o fornecimento de oxigênio para todo o organismo. O objetivo sempre será liberar as vias respiratórias das secreções e aumentar a capacidade ventilatória do pulmão, o que pode ser útil após uma cirurgia cardíaca, torácica ou abdominal para prevenir pneumonia e atelectasia, por exemplo.

Como fazer fisioterapia respiratória


Alguns exemplos de exercícios de fisioterapia respiratória para aumentar a capacidade pulmonar em caso de dificuldade respiratória, por exemplo, são:

Permanecer deitado de lado numa superfície inclinada, onde as pernas e pés permanecem mais elevados que o tronco, o que ajuda a eliminar as secreções;

Sentado numa cadeira, segurar uma bola ou bastão à frente do corpo e ao inspirar elevar a bola acima da cabeça e ao expirar, voltar com a bola ao centro;

De pé, colocar as mãos à frente e inspirar profundamente pelo nariz enquanto abre os braços horizontalmente (como cristo redentor) e soprar o ar devagar pela boca ao trazer os braços novamente à frente do corpo.

Os exercícios devem ser realizados devagar, sem nenhuma pressa, e podem ser repetidos cerca de 5 a 10 vezes. No entanto, o fisioterapeuta poderá indicar pessoalmente quais são os exercícios mais indicados para cada situação.


Tipos de fisioterapia cardiorrespiratória


Fisioterapia respiratória em pediatria

A fisioterapia respiratória pode ser realizada ainda na infância dentro da pediatria e da neonatologia, sempre que houver necessidade, pois, as crianças também são susceptíveis ao surgimento de doenças como pneumonia e bronquiolite e o tratamento desenvolvido poderá ser indicado para tratar estas e outras doenças a fim de melhorar a troca gasosa e assim facilitar a respiração destas.

É muito importante também o tratamento em bebês, pois o sistema respiratório ainda está em desenvolvimento, podendo haver dificuldade nas trocas gasosas. Assim, a fisioterapia ajuda a melhorar a eficiência do processo respiratório e a eliminar secreções.


Fisioterapia respiratória ambulatorial

É praticado nas clínicas, com o objetivo de tratar e proporcionar alívio de doenças crônicas como asma e doenças relacionadas ao coração. Dependendo da orientação do médico, ela deverá ser realizada 1 ou 2 vezes por semana por tempo indeterminado, até que a capacidade respiratória do indivíduo esteja normalizada.

Fisioterapia respiratória hospitalar

É praticada nos quartos do hospital quando o paciente está internado e por vezes, acamado. Neste caso indica-se a fisioterapia motora e respiratória durante seu internamento e mesmo que ele não tenha nenhuma doença respiratória, deverá fazer pelo menos 1 sessão diária de fisioterapia respiratória como forma de prevenir o aparecimento de doenças respiratórias e melhorar a função pulmonar.

Fisioterapia respiratória domiciliar

É realizada em domicílio e indicada para pessoas que tiveram alta hospitalar, mas que ainda se encontram em fase de recuperação de transtornos respiratórios ou de eventos cardíacos, como um infarto. Esta pode ser realizada 1 ou 2 vezes por semana, sob a orientação do fisioterapeuta que trabalha com home care, mas o indivíduo deve ser estimulado a praticar os exercícios de cinesioterapia respiratória diariamente.

Para tal, o fisioterapeuta pode recorrer a aparelhos que mobilizam a secreção, fluidificam e facilitam a sua retirada, como o flutter e o nebulizador, e indicar a realização de exercícios que estimulam a respiração forçada.

Benefícios da fisioterapia respiratória


Dentre os principais benefícios da fisioterapia respiratória estão: melhora da troca gasosa; maior expansão pulmonar; liberação de secreções do pulmão e das vias aéreas; desobstrução e limpeza adequada de vias aéreas; diminuição do tempo de internamento hospitalar; facilita a chegada de oxigênio em todo corpo; combate à dificuldade para respirar.

Algumas estratégias usadas para alcançar estes benefícios são manobras de drenagem postural, pressão manual torácica, percussão, vibração, vibrocompressão, facilitação da tosse, e aspiração de vias aéreas superiores.


Se você atua na área da fisioterapia ou da saúde e deseja aprimorar seus estudos comece sua especialização na Monte Pascoal. Obtenha mais conhecimento e faça a diferença no mercado de trabalho.



Fonte: Tua Saúde

Imagem: Tua Saúde