Publicada no dia 25 de janeiro, a Resolução-COFFITO nº 501 reconhece a atuação do fisioterapeuta na assistência à Saúde em unidades de Emergência e Urgência, assegurando, assim, mais um espaço de inserção da profissão. Para o presidente do COFFITO, Dr. Roberto Mattar Cepeda, esta normativa visa regular a prática neste ambiente e proteger o profissional e a sociedade.


A edição da resolução levou em consideração o escopo de atuação e atribuições da profissão, tais como uso da ventilação mecânica invasiva, da oxigenoterapia e da ventilação mecânica não invasiva. O exercício do fisioterapeuta neste campo conta, também, com o respaldo do Ministério da Saúde, que lista a profissão em suas normas relacionadas aos serviços de urgência e emergência.


O texto, além de reconhecer a atuação, também preconiza que os profissionais que atuem nesta área sejam capacitados em Suporte Básico de Vida e Suporte Avançado de Vida Cardiovascular em Adultos – ACLS.


Histórico

A construção da normativa contou com o apoio da Associação de Fisioterapeutas do Estado do Rio de Janeiro (AFERJ), da Associação Brasileira de Fisioterapia Cardiorrespiratória e Fisioterapia em Terapia Intensiva (ASSOBRAFIR), e da Associação de Fisioterapeutas do Brasil (AFB), que, em parceria com o COFFITO, estudaram o cenário da Fisioterapia brasileira em ambientes de urgência e emergência, para, dessa forma, construir uma legislação que contemplasse as necessidades da área. Para o diretor-tesoureiro do COFFITO, Dr. Wilen Heil e Silva, a nova resolução traz mais uma conquista para a profissão, consolidando a categoria em um campo em que já possui amplo domínio. "Ficamos felizes em poder atender aos nossos colegas das associações, ao estudarmos juntos e conseguirmos construir um futuro ainda melhor aos fisioterapeutas. O reconhecimento desta especialidade é fruto do trabalho de cada profissional que comprovadamente nos mostrou sua capacidade ao oferecer o que há de melhor para a população", completou.


Para o presidente do COFFITO, entregar esta resolução aos fisioterapeutas não se trata apenas de reconhecer mais um campo, mas, também, de prestigiar e enaltecer os profissionais que nos mostraram, por meio da sua atuação, a importância do fisioterapeuta no atendimento de pacientes de emergências e urgências. Além disso, segundo ele, este também é um momento para agradecer o envolvimento de muitos profissionais que possibilitaram a elaboração desta normativa, em especial aos representantes de associações parceiras e ao Sistema COFFITO/CREFITOs, que dedicam permanentemente tempo e esforço em prol da profissão.


Fonte de texto: www.coffito.gov.br
Fonte de imagem: www.hospitalmoinhos.org.br