A Terapia assistida por animais (TAA) consiste em um método terapêutico onde o animal é parte principal da terapia, tendo como objetivo oferecer diversos estímulos aos pacientes sejam táteis, visuais, olfativos, auditivos, etc., promovendo benefícios de ordem psíquica, social e física. A terapia assistida atua principalmente como agente facilitador das modalidades terapêuticas tradicionais, o que possibilita a aceleração da recuperação dos pacientes, e para aqueles que possuem um animal de estimação, desenvolve-se a questão de responsabilidade como a rotina e os cuidados do dia a dia, como hábitos de higiene, alimentação, lazer e outros.

Podemos ainda afirmar que a TAA aproxima a pessoa com deficiência do animal, e isso faz com que ela melhore (ou mantenha) a amplitude de movimento, trabalhe alongamento, força e coordenação motora, e assim leva à uma maior qualidade de vida, reduzindo o estresse, ansiedade, depressão e estimulando o equilíbrio e a movimentação, bem como a percepção espacial, o que favorece a autoconfiança e a autoestima.

Nos casos de TAA, é importante observar-se o histórico de cada paciente e desenvolver um trabalho específico e direcionado para cada indivíduo, e a terapia deve ser conduzida por um terapeuta e/ ou condutor do animal.

Qualquer pessoa pode fazer uso da terapia animal: os idosos, adultos ou crianças com problemas psiquiátricos, portadores de deficiência física ou mental, com câncer ou soropositivos e pacientes domiciliares ou hospitalizados. Apesar de a teoria sugerir que pacientes imunossuprimidos, susceptíveis a infecções oportunistas com histórico severo de alergias e problemas respiratórios ou internados nas unidades de terapia intensiva não façam uso da terapia, alguns projetos descrevem visitas a esses pacientes, pois pesquisas revelaram que visitantes humanos transmitem mais infecções aos pacientes do que os animais, quando devidamente limpos e imunizados. A restrição real compete ao paciente que possui medo ou aversão a animais (ANIMAIS ajudam na recuperação, 2001).

Entre os benefícios da terapia assistida por animais, destacamos:

- Estudos dos benefícios do contato humano com animais mostram que o simples ato de acariciar um cão relaxa o corpo, diminui a frequência cardíaca e a pressão arterial e estabiliza a respiração.

- Fazer o paciente acariciar, pentear e jogar bola para o cão é um ótimo exercício de coordenação de movimentos, além de ajudar a controlar o estresse, diminuir a pressão arterial e reduzir os riscos de problemas cardíacos, como comprovado pelo estudo onde sugere que a criação dos animais pode causar efeitos relaxantes, evidenciado pela redução da pressão sanguínea e aumento da temperatura corporal (BAUN et al., 1991).

- O contato com animais aumenta as células de defesa e deixa o organismo mais tolerante a bactérias e ácaros, diminuindo a probabilidade das pessoas desenvolverem alergias e problemas respiratórios (BENEFÍCIO animal, 2000).

- O estímulo do animal faz com que aumente o nível de endorfina, ajudando a minimizar os efeitos da depressão;

- Amor incondicional e atenção, espontaneidade das emoções, redução da solidão, diminuição da ansiedade, relaxamento, alegria, reconhecimento de valor, troca de afeto;

- Dar nomes aos filhotes ou chamar os animais pelo nome são excelentes exercícios fonoaudiológicos a pacientes que possuem dificuldade de falar. Aqueles que não falam são estimulados a produzir expressões vocais;

- Diminui a percepção da dor;

- Aumenta o desejo de lutar pela vida;

- Melhora as relações interpessoais;

- O animal facilita e nutri a comunicação entre o profissional e o paciente;

- Oportunidade de comunicação e sentido de convivência;

- Recreação, diversão e alívio do tédio do cotidiano. Redução da sensação de isolamento;

- Possibilidade de troca de informações e de ser ouvido;

- Sentimento de segurança, socialização e motivação;

- Vínculo e aumento de confiança com o ser humano, com o foco nos participantes da terapia;

- Os benefícios continuam mesmo depois das visitas, através das lembranças e experiências positivas.

A interação entre os homens e os animais se baseia principalmente na afetividade, portanto, quanto mais forte a ligação emocional entre eles, melhores serão os resultados da terapia. A TAA, segundo opiniões recentes de profissionais e pacientes, age da mesma forma bioquímica que uma resposta de relaxamento do corpo, já que atua na adrenal (produção de epinefrina) e na produção de outros hormônios corticosteroides, o que induz a redução da pressão arterial, frequência cardíaca e respiratória, além de outros benefícios.


Fonte de conteúdo: Faça Fisioterapia
Fonte de imagem: Google