No mês de junho de 2017, o Conselho de Fisioterapia constatou irregularidades no exercício ilegal de atendimentos fisioterápicos no interior de Mato Grosso do Sul. O responsável pelas fiscalizações foi o Defis (Departamento de Fiscalização) do Crefito (Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional de Mato Grosso do Sul) da 13ª região.

A primeira fiscalização ocorreu no dia 26 de junho, na Paranaíba, que fica a 422 km de Campo Grande, após uma denúncia ter sido relatada ao Conselho. Lá verificou-se que uma acadêmica realiza os atendimentos enquanto a profissional responsável estava em viagem.

O caso mais grave, no entanto, levou dois anos para ser flagrado, e ocorreu em Cassilândia, a 418 km de distância da Capital. Neste caso, quem realizava os procedimentos de atendimentos fisioterápicos era na verdade a secretária do consultório. " Nós já tínhamos indícios de irregularidade neste local, mas não tínhamos conseguido flagrar até então", explicou o coordenador do Defis, Márcio Maruyama.

Segundo Maruyama, todos os casos foram agora registrados na polícia civil, e os proprietários das clínicas em questão responderão processos éticos. Será aberto um inquérito para apurar os casos. O problema maior de irregularidade é no interior do Estado. A fiscalização é feita uma vez ao ano lá, e por isso eles pensam que nunca serão flagrados".

Novas fiscalizações serão realizadas no mês de julho de 2017, uma delas sendo em Nova Andradina. "O cronograma prevê que outras cidades sejam visitadas", finalizou o coordenador.


Fonte de conteúdo: Campo Grande News

Fonte de imagem: Google