Embora pareça um mito, há evidências científicas de que a mudança climática pode mesmo provocar mais dores nas articulações daqueles que já têm uma patologia crônica, como a artrite ou uma hérnia de disco.

Um estudo aponta que 67% das pessoas com dores crônicas sentem que os sintomas pioram com alterações climáticas, principalmente para temperaturas mais baixas, e na maioria das vezes isso acontece mesmo antes da mudança de clima acontecer, dando a impressão de que a articulação até "prevê o tempo".

Embora a razão desse fenômeno não seja de consenso absoluto, nem mesmo sobre ele ser real, algumas teorias tentam explica-lo. A mais aceita das teorias fala sobre a mudança da pressão do ar e que ela seria a responsável pela piora da dor, e não a temperatura ou a umidade, que seriam as razões mais óbvias.

"A pressão atmosférica pode ser entendida como o "peso" do ar ao nosso redor. Se imaginamos uma articulação com problemas, que tende a inchar, quanto maior a pressão exercida por fora dessa articulação menor será esse inchaço. E a pressão atmosférica tende a cair antes da chegada de um clima ruim, o que permite maior expansão da articulação que está sensível devido à processos inflamatórios, cicatrizes ou aderência. Tudo isso é microscópico, mas para quem tem sensibilidade parece ser perceptível.", explica Raquel Castanharo, fisioterapeuta e mestra em biomecânica da corrida na USP.

Manter a articulação ativa, através de fisioterapia e exercícios apropriados, é uma boa indicação para as pessoas que possuem esse tipo de dor e sofrem com as alterações climáticas.


Fonte de conteúdo: Nova Fisio

Fonte de imagem: Google