Quando praticamos exercícios de forma mais intensa, não raramente acontece de sentirmos "fisgadas" nos músculos da perna e coxa. Devemos ficar atentos, pois essa dor pode ser o sinal de uma das queixas mais comuns atualmente nos atendimentos ortopédicos: as lesões musculares.

Nos últimos tempos, a prática desportiva e o número de pessoas que frequentam a academia vêm crescendo cada vez mais, já que a sociedade parece estar cada vez mais consciente dos problemas gerados pela obesidade e pelo sedentarismo, isso sem mencionar a preocupação com a aparência física. Assim, a busca pela prática correta de exercícios físicos deve estar presente não somente entre os atletas profissionais, mas também para os que querem uma boa forma ou mesmo para os que praticam esportes de forma recreativa.


Durante a prática de esportes, existem basicamente dois motivos para a ocorrência de lesões:


  • 1- Lesões intrínsecas:
    Essas lesões são causadas por fatores específicos de cada atleta, como seu histórico e seu nível de condicionamento, tomando como exemplo disfunções musculares, estiramentos, rupturas, entre outros.



  • 2- Lesões extrínsecas:
    São causadas por fatores externos, que não dependem do organismo do atleta, como a colisão de objetos com seus grupos musculares, equipamentos inadequados, colisão com adversários (no caso de esportes coletivos), condições climáticas, entre outros.



Em ambos os tipos de lesões acontece a ruptura e necrose das fibras musculares, que acabam por provocar reações nas células inflamatórias. Quando ocorre a lesão, o espaço formado entre as fibras musculares é preenchido por hematomas, formando o coágulo. Assim, o nível de fibras musculares danificadas é que determina a gravidade da lesão, podendo esta ser classificada em 4 níveis:

  • - Lesões de grau 1:
    Ruptura de poucas fibras em que a fáscia muscular não é prejudicada.


  • - Lesões de grau 2:
    Lesão com um número moderado de fibras em que a fáscia muscular também não é prejudicada.


  • - Lesões de grau 3:
    Lesão de muitas fibras somada a lesão parcial da fáscia.


  • - Lesões de grau 4:
    Lesão completa do músculo e da fáscia, ou seja, ruptura da junção músculo-tendínea.



Entre as lesões, os 10 tipos mais comuns são: câimbras, contusões, distensões ou estiramentos, entorses, fraturas, hérnia discal, luxações, pubalgia, Síndrome de colisão do ombro e tendinite.

Para evitar a ocorrência de lesões, é preciso escolher bem o exercício a ser praticado, observando critérios como sua idade, peso, condicionamento físico, entre outros fatores. Além disso, use sempre equipamentos de proteção, busque praticar de forma correta cada exercício, e procure sempre o auxílio de profissionais.


Fonte de conteúdo: Mundo Boa Forma

Fonte de imagem: Google