Aos 45 anos, Célio Roberto fez o Enem para tentar uma vaga em fisioterapia. Segundo ele, o desejo surgiu da deficiência da sua esposa, que precisa de fisioterapeuta e espera a assistência pela rede pública há um ano. Mais de 56 mil pessoas no Acre e mais de 7,7 milhões em todo o país fizeram a prova.

Com um pé amputado por conta da diabetes, ele diz que sonha em ser fisioterapeuta para ajudar também outras pessoas."Tenho em casa minha esposa que está precisando de fisioterapia e espera há quase um ano. Quero fazer para ajudar mais pessoas. Eu espero que o tema da redação seja fácil", diz.

Fonte da foto: Quésia Melo/ G1

Fonte: Fisioterapia.com / G1