A avaliação fisioterápica é a chave principal na condução de um tratamento, onde o fisioterapeuta pode explorar o atual estado físico do paciente tornando compreensível o que ele diz e demonstra sobre a sua lesão ou patologia. Os distúrbios musculoesqueléticos serão avaliados nos aspectos da análise da função articular (mobilidade e força muscular) e seu funcionamento, mensurados e quantificados, complementando a anamnese e o diagnóstico médico.

De acordo com Pinto e Cyrillo, 2007, tal conduta não visa em nenhum momento realizar o diagnóstico médico, mas sim, o fisioterapêutico, que engloba aspectos e características particulares, e que está baseado na anatomia, biomecânica, cinesiologia e fisiologia para determinar as possibilidades de etiologia do problema.

Tendo em vista a individualidade biológica de cada ser humano, não consideramos que todos os pacientes, com distúrbios semelhantes, sejam enquadrados em um modelo padrão de abordagem terapêutica. O objetivo de uma avaliação inicial em nosso serviço é buscar o diagnóstico diferencial, ou seja, identificar outras vertentes que levam à queixa do paciente, considerando as atividades exercidas durante seu trabalho, lazer ou mesmo esportiva.

Fonte: Instituto Osmar de Oliveira